Anéis máxi!

postado por: Time Ohcarol - 20 de março de 2019

O destaque mundo afora.

 

Segundo a agência de tendências WGSN, um dos itens-chave do outono-inverno 2019 são os anéis de tamanhos grandes. Vistos tanto nas semanas de moda quanto nos looks de streetstyle e festivais, as peças ganharam destaque entre fashionistas e celebridades mundo afora. E isso tem a ver com o desejo crescente de personalização que toma conta do mercado (vale nota: não só fashion). O anel tornou-se, assim como os outros acessórios, um meio de expressão, uma forma de dar vazão a ideias e sentimentos, bem como externalizar traços da personalidade e características pessoais. E tem acessório melhor do que esse?

 

Welcome to the jungle!

 

O animal print, peças com tecidos que imitam (porque tem que ser sintético, certo?) a padronagem da pele de animais, é sempre presença confirmada nas estações mais frias. Mas, desta vez, seu retorno não é solitário ou restrito apenas aos vestuários. O mundo animal também foi fonte de inspiração no mercado de acessórios, e os anéis maiores acabam beneficiados com essa trend. Afinal, tamanho grande é igual a mais espaço para criação, abrindo margem para designs inovadores e cheios de personalidade.

 

Mas quais os animais-foco deste ano? Os felinos, principalmente. Tanto nas roupas quanto nos acessórios, tigres e leopardos são destaques. Eles podem ser representados pela padronagem de suas peles, pelo formato de seus corpos ou, até mesmo, pelas suas presas. Outro animal que chama atenção são as serpentes. Da rainha Cleópatra até os dias de hoje, esses bichos de sangue frio são desde sempre uma inspiração da joalheria. A Bulgari, por exemplo, tem até mesmo uma coleção chamada Serpenti que tem o réptil como protagonista.

 

Nada contra os cachorros e os gatos, mas você deve ter reparado até aqui que quando se fala de tendência animal, são os selvagens que tomam conta. Mas isso não quer dizer que você não possa incorporar seu pet na produção. Embora mais comuns em pingentes do que em anéis, é possível encontrar modelos máxi que homenageiam os melhores amigos. Nesse caso, o que muda é o toque do acessório no visual. Enquanto os selvagens dão aquele quê sexy e cool, os domesticados fazem tudo ficar mais fofo e delicado.

 

Até tu, Brutus?

 

A palavra lapidação pode ser definida como uma operação de cortar, formar, facetar e polir pedras preciosas. Esse tratamento tem como finalidade proporcionar brilho máximo para uma gema. Não é à toa que grandes grifes, como Swarovski e Tiffany’s, possuam patentes sobre determinados tipos de cortes. A Montblanc, por exemplo, possui uma lapidação específica de diamante que deriva do logo da marca, uma estrela de seis pontas inspirada no cume da montanha que leva o mesmo nome, localizado na Suíça, no continente europeu.

 

Ao polir uma pedra, o joalheiro a molda de acordo com suas necessidades, no formato certo e ideal para que ela encaixe no design predeterminado. E a combinação do metal com a gema sempre dá um toque elegante e refinado para qualquer visual. Mas, esse não é o único jeito de incluí-la em uma peça. Existem aqueles consumidores que apreciam as pedras preciosas da forma como foram extraídas da natureza: brutas. E o mercado joalheiro é desafiado a criar a partir da irregularidade desses minérios. Os papéis são invertidos. Agora, é o metal – ou seja lá qual for a base – que precisa se adequar. E o resultado são joias cheias de personalidade e energia (para quem acredita nessas coisas).

 

Processed with VSCOcam with s2 preset

Com a tendência de maxi anéis tomando um novo respiro atrelada à necessidade dos consumidores por formas de se expressar, os modelos de pedras brutas voltaram com tudo e se consolidaram como uma das apostas da nova temporada. Os cristais são as gemas da vez e podem ser encontrados em tonalidades variadas. Esses acessórios dão um toque hippie chic no visual e, como o estilo está mais do que em voga no cenário fashion, é ao mesmo tempo cool e moderno. Embora de tamanho grande, o cristal bruto não pesa no visual, então vale aliar ainda o seu uso com outras peças menores e mais finas, criando um mix de anéis.

 

Artsy

 

Inspirado em artistas como Pablo Picasso e Salvador Dali, o estilo conhecido como artsy foi identificado como a terceira grande aposta da tendência de maxi anéis. Cubismo, surrealismo e abstracionismo são as palavras de ordem quando se fala dessas criações que, a grosso modo, podem ser definidas como geométricas. Seus formatos são bem delineados, de espessuras mais grossas,  e podem contar com o adorno de pedras, pingentes e, também, serem esmaltados para diferentes finalizações. Assim como os animais e as pedras brutas, essas joias são capazes de passar mensagens.

 

O cubismo, por exemplo, é um estilo do século XX que transforma em geometria formas e volumes, renunciando à perspectiva. O surrealismo, por sua vez, está ligado ao subconsciente, ao irracional. E o abstracionismo é destituído de conteúdo e representações, trata-se do subjetivismo. Em suma, o ponto em comum entre todos esses movimentos artísticos é a ausência da realidade, da representação fidedigna. Porque como tudo nessa vida, não existe imparcialidade. Nem na moda, nem no jornalismo e, é claro, na moda.

 

Mas, calma! Você não precisa ter a História da Arte na ponta da língua para aderir à tendência. Embora seja mais comum encontrar joias geométricas em versões minimalistas, as peças maxi dão um toque de personalidade para qualquer produção. Círculos, quadrados, triângulos podem aparecer apenas em metal vazado ou no corte e lapidação das pedras. Os anéis permitem ainda variações que não são possíveis nos outros acessórios. Vale usá-lo solitário ou em combinação com outras peças. Inclusive fazendo um mix de maxi.

Promoções
e Novidades

Receba no seu email, todas as ultimas novidadas e tendências em jóias.