Tudo sobre Olho Grego!

postado por: Time Ohcarol - 7 de maio de 2019

A moda que protege.

 

Um objeto que protege contra inveja e o mau-olhado. Um talismã para absorver energias negativas. Assim é o Olho Grego, ou Olho Turco, também conhecido como Nazar ou Olho de Deus. Comumente confeccionado de vidro, é muito utilizado na religião islâmica e em países como a  Grécia (claro!), Irã e Armênia. Na cor azul escuro, (que reza a lenda possui) a mesma do mau-olhado, pode ser encontrado na forma de um objeto de decoração, na estampa de vestuários, em tatuagens, nos sonhos e, é claro, em joias.

 

O olho como símbolo não é encontrado apenas no Olho Grego ou Olho Turco (ou Nazar, Olho de Deus…). No Budismo, por exemplo, existe o chamado Terceiro Olho de Buda que é representado por sobrancelhas e simboliza sua visão mais ampla e inteligência superior. Na Maçonaria, o olho representa o Grande Arquiteto do Universo e, no Antigo Egito, o olho de Hórus é aquele que tudo vê.

 

A lenda sobre o mau-olhado

 

Um antigo conto turco explica o motivo pelo qual se acredita que vibrações negativas são emitidas, principalmente, pelo olhar. Na lenda existia uma grande pedra que nenhum homem era capaz de mover. Nem mesmo cem juntos o fizeram. Decidiram então chamar, na cidade, um rapaz conhecido pelo seu mau-olhado. Ao ver a rocha, ele exclamou: “meu Deus, que pedra grande!” e, após um forte estrondo, ela se rachou ao meio. Desde então, acredita-se também no poder das pedras em absorver as más vibrações.

 

O mau-olhado também é reconhecido por Maomé, profeta do Islamismo, e citado em textos clássicos do judaísmo, como o Antigo Testamento. Não é à toa que talismãs e amuletos que protegem contra esse mal tenham se popularizado tanto com o passar dos anos e continuem comercializados, usados e propagados na era contemporânea. Muito mais do que um souvenir de viagem, o Olho Grego foi incorporado em diferentes momentos da história das sociedades, incluindo semanas de moda de cidades ocidentais.

 

A origem do Olho Grego

 

A primeira evidência do Olho Grego foi encontrada em uma escavação arqueológica na atual Síria, região que antes era conhecida como Mesopotâmia, e é datada de 3.300 a.C. Em outra busca, desta vez no Egito, constatou-se que por volta de 1.500 a.C. a população utilizava uma mistura de argila acetinada rica em óxidos de cobre e cobalto que, ao ser aquecida, assumia a cor azulada. Essa tonalidade pode ser explicada de duas formas. Primeiro, os antigos acreditavam que um mau-olhado teria essa cor, e por isso, o talismã azul seria capaz de repelir a energia negativa. Segundo, é a cor do céu e representa a espiritualidade e a paz.

 

Acredita-se ainda que a tradição do Olho Grego esteja presente em diferentes continentes, países e culturas por causa de sua difusão no passado. Alexandre, o Grande, foi responsável por sua abrangência até o leste da Índia. Anos mais tarde, o talismã foi do norte ao sul graças ao Império Romano, e se manteve durante a Idade Média por países célticos e Inglaterra. Nos dias de hoje, é presente principalmente na cultura de países do Oriente Médio, África Ocidental, América Central e em diferentes partes da Europa, principalmente no Mediterrâneo.

 

Para que serve o Olho Grego?

 

Em uma única palavra: proteção. Ele afasta a negatividade e tudo aquilo que é considerado mau ou prejudicial. A crença de que sentimentos ruins sejam transmitidos pelo olhar foi passado de geração para geração, em diferentes países. Assim como no conto turco sobre a pedra gigante, essa concepção é tão presente na cultura de alguns locais que algumas mães turcas, por exemplo, colocam um Olho Grego entre as roupas de seus filhos a fim de resguardá-los contra quebrantos vindos, até mesmo, de elogios.

 

Isso mesmo. O mau-olhado pode se manifestar de diferentes formas: por um olhar, por palavras, por rezas e cumprimentos, mesmo que sejam bem-intencionados. O filósofo grego Plutarco o definiu como manifestação de raios mortais que brotam das entranhas do corpo. E é tão poderoso que, se um Olho Grego se quebrar, deve ser colocado em água corrente – limpar as energias – e trocado, já que foi danificado por fortes vibrações negativas e não poderá detê-las em uma segunda ocasião.

 

Como usar o Olho Grego?

 

Existem duas principais formas de se incluir um Olho Grego na rotina: como objeto de decoração e como acessório. A primeira protege a casa ou o escritório das energias negativas. Por isso, deve ser sempre colocado na entrada ou na porta. Já a segunda faz do objeto um amuleto que acompanha durante o dia. Dos máxi aos minimalistas, é possível incluir um pingente ou um detalhe com o Olho Grego em qualquer produção, sozinho ou acompanhado de outros amuletos. O principal é que se esteja protegido.

 

Embora sua cor mais comum seja o azul escuro, que proporciona paz, calma e relaxamento, existe hoje uma grande variedade de Olhos Gregos. A tonalidade mais clara, por exemplo, é sinônimo de proteção, amplia perspectivas e ajuda no aprendizado e nos estudos. A cor violeta, por sua vez, está ligada à imaginação e à criatividade. O rosa protege as amizades e o pink o amor verdadeiro. Vermelho representa coragem, alegria e bom-humor enquanto o laranja rejuvenesce e renova. Amarelo é sinônimo de saúde, verde claro é sucesso e o escuro representa felicidade. Marrom é sobre princípios, já o branco é lucidez e pureza. O cinza dá segurança, o preto prosperidade e o transparente, a sanidade.

 

Sonhos com Olho Grego

 

A aparição de um Olho Grego no mundo onírico pode revelar muito sobre os desejos e medos daquele que está sonhando. Se você apenas vê o amuleto, é sinal de chateação e tristeza. Caso o toque, são indícios da aproximação de um amigo que há muito não se vê. Sonhar com uma coleção de Olho Grego significa que todos os trabalhos pendentes será finalizados. Até aqui, o talismã é usado por um terceiro ou visto com certa distância. Se o sonho mostrar o amuleto como acessório de quem está dormindo, o cenário muda.

 

Apenas usar um Olho Grego pode significar uma discussão na família. Se essa utilização vier em formato de pulseira, por exemplo, sugere que a saúde pode estar ruim e vale a pena dar atenção a ela. Um talismã quebrado pode ser indício de que a vida escolar dos filhos vai de vento e polpa. Se for usado por um bebê, as crianças serão presenteadas com boas qualidades. E se o Olho usado for de outra pessoa (um empréstimo), uma pequena quantia de dinheiro será recebida em um futuro próximo.

 

Olho Grego é tendência

 

Por fim, a coleção Olho Grego da Oh! Carol conta com bracelete, pulseiras, anéis, colares, escapulários, pingentes e brincos, dos grandes aos pequenos, que podem servir como amuletos em todos os momentos do dia (e para qualquer estilo também). Confeccionadas em prata 925, as peças possuem detalhes esmaltados em azul e branco. Alguns itens ganham ainda ornamentação de brilhos para um resultado mais impactante.

 

Mais utilizado durante as temporadas quentes, como primavera e verão, nada impede o uso do Olho Grego também nos dias mais frios. Impulsionado pela onda minimalista que prega a leveza, a valorização da simplicidade e que o menos é mais, o amuleto é ainda uma forma de se proteger enquanto expressa fé e espiritualidade.  Para manter a peça sempre limpa de energias negativas, logo após o uso, é recomendável limpá-la com sal grosso e pimenta vermelha.

Promoções
e Novidades

Receba no seu email, todas as ultimas novidadas e tendências em jóias.